sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Jardim Venenoso


O Alnwick Garden, localizado em Northumberland no norte da Inglaterra (a cerca de 500 km de Londres), é um parque que tem diversos e maravilhosos jardins. Uma estrutura arquitetônica verde criada pelos paisagistas belgos Jacques e Peter Wirtz, com enorme variedade de plantas e árvores onde os visitantes podem brincar em labirintos de bambu e se molhar nos jatos da Grand cascade. 

Foi criado conforme o desejo de sua proprietária a Duquesa de Northumberland que imaginou criar um jardim para as pessoas interagirem e apreciarem os espaços verdes , suas cores, aromas e sensações. Além de espaço público, possui programas de voluntariado como convite a participação da comunidade na manutenção e ampliação das diversas áreas do parque. 

Alnwick também é conhecido como ponto turístico por causa de um jardim de plantas venenosas.

O “The Poison Garden” (Jardim venenoso) é o mais conhecido jardim do parque, ao atravessar o assustador portão do Jardim venenoso, encontraremos mais de 100 espécies de plantas venenosas e narcóticas de todo o mundo. 

O jardim foi inspirado em similares italianos, em Pádua, em que os Medicis brincavam de Farmville com a morte. A duquesa quis plantar nele apenas plantas que fossem narcóticas ou venenosas. 

As visitas são monitoradas por guias especializados que discorrem sobre mitos e lendas, fatos científicos e históricos sobre a natureza mortal de algumas plantas, tendo o publico visitante a oportunidade de aprender sobre o efeito das drogas em um ambiente informal. 

O jardim é cercado por grades e muros e existem plantas que podem matar só de tocar a pele. O portão preto, com uma caveira atravessada por ossos, traz um aviso que não deve ser levado na brincadeira: “Estas plantas podem matar”. A segurança rígida é atenta 24 horas, de forma a evitar acidentes já que algumas plantas são tão tóxicas que podem causar a morte ao simples toque na pele. 

As espécies são distribuídas pelos canteiros em forma de labaredas e algumas, como a coca (Erythroxylum coca) e a maconha (Cannabis sativa) expostas em gaiolas, e a visita só pode ser feita com o acompanhamento de guias – que tratam de esclarecer os mitos, os perigos e os usos de cada espécie. 

Entre os destaques estão a papoula (Papaver somniferum), a noz-vômica (Strychnos nux-vomica), de onde se extrai a estricnina e princípios ativos para produzir medicamentos contra depressão e a giant hogweed (Heracleum mantegazzianum), cuja seiva pode ocasionar queimaduras de terceiro grau. 

A beladona (Atropa belladonna) que possui uma substância usada até hoje para dilatar a pupila é uma das joias do local. Na antiguidade era utilizada pelas italianas com fins cosméticos, porém o uso pode causar alucinações e levar à morte. Já o acônito (Aconitum napellus), comum em campos e casas da Europa, é extremamente venenosa e já foi empregada em veneno para lobos e cachorros, além de ser utilizado em remédios homeopáticos. 

O Alnwick Garden têm licença especial para cultivo de algumas plantas existentes no “Jardim Venenoso” como a maconha (cannabis sativa), coca (erythroxylum coca), o tabaco (nicotiana tabacum) que estão locadas atrás de grades em gigantescas gaiolas e, outras plantas venenosas e mortais famosas como a Mandragora (Mandragora officinarum) citada por Shakespeare em Romeu e Julieta e em filmes como Harry Potter e o Labirinto do Fauno; Noz-vômica (Strychnos nux-vomica); e ainda a Cicuta (Conium maculatum) plantada nos limites do The Poison Garden, que foi usada na histórica execução de Sócrates, um dos ícones da filosofia ocidental. 

Alguns dos vegetais expostos são bem conhecidos pelos brasileiros, como a mamona (Ricinus communis), que pode destruir os glóbulos vermelhos se ingerida; a trombeta (Brugmansia suaveolens), que causa alucinações e pode ser usada no tratamento de asma; e a dedaleira (Digitalis purpurea), que regula a atividade cardíaca e também pode causar a morte se ingerida. 

A princípio pode ser difícil de acreditar, mas após o passeio fica fácil de entender o objetivo do projeto. Aproximar as pessoas das plantas para resgatar o conhecimento, tão comum em séculos passados, das principais características de cada uma. Pois, dependendo da aplicação, elas podem matar ou salvar vidas. Além disso, é uma forma de abrir o diálogo entre pais e filhos sobre os riscos das drogas. 

O jardim também já serviu de locação para filmes como Elizabeth e a saga de Harry Potter. Ele foi cenário da Escola de Agia e Bruxaria de Hogwarts nos dois primeiros filmes da franquia Harry Potter.
Gostou do post? Então deixe seu comentário querido bizarrinho! Ele será bem vindo! Compartilhe nossos posts no Facebook e em outras redes-sociais e ajude o Meu Monstrinho Bizarro a crescer :)

4 comentários:

  1. Plantas fodas hein...Um jardim desses só poderia ficar na Inglaterra neah...eita povo que curte um jardim...

    ResponderExcluir
  2. legal teu post,vou virar frequentador assiduo..

    ResponderExcluir
  3. sou artista plastico e se kiser,seria um prazer colaborar! tambem tenho conhecimento em photoshop!

    ResponderExcluir

Saudações Bizarrinhos!
*Tentem dar sua opinião sem xingar ou ofender as pessoas e comentários anteriores ao seu.
*Sejam educados ao notificar algo de errado aqui no blog, pois do mesmo jeito que você for mal educado eu serei com você.
*Não façam comentários a cerca de religião, pois eu sou ateia e muita gente que aparece aqui também é comentários desse tipo sempre geram discussões desnecessárias.
*Aproveite que esta comentando e deixe sua sugestão de postagem também, guardarei com carinho a sugestão na minha lista de postagens.